Connect with us

Polícia

Polícia Civil desvenda morte de psicóloga no Sul de Minas

Published

on

Concluída investigação de uma das mortes mais misteriosas do Sul de Minas nos últimos anos: de acordo com a Polícia Civil, a psicóloga Marilda Matias Ferreira dos Santos, 37 anos, se matou e tentou simular que foi vítima de um homícidio. Ela foi encontrada pelo seu companheiro no porta-malas do próprio carro, na garagem de casa, em agosto do ano passado, em Pouso Alegre.

A causa da morte, de acordo com a PC, foi por asfixia e intoxicação, informa o g1.

O corpo, com roupas de ciclista, foi encontrado amarrado, ‘de forma frouxa e simples’. Sem sinais de violência e com a chave do carro. Ela teria tentado simular que saiu de bicicleta, mas de acordo com a investigação ela não deixou a residência, que não tinha sinais de arrombamento. Cadernos encontrados em casa apontava depressão e predisposição para suicídio. ‘Todos esses contextos permitiram concluir que ela praticou suicídio, montou esse cenário e algumas fantasias para demonstrar que seria um crime, porque ela não tinha essa coragem de praticar o suicídio perante pacientes e à sociedade, então ela queria ocultar e demonstrar que faleceu por homicídio, mas de maneira alguma tentou incriminar o próprio marido. A Justiça já manifestou pelo arquivamento do caso’, observa o delegado Rodrigo Bartoli.

Jornalista e editor dos sites Da Redação, Front Pages News e Cura Plena. Escritor do 'Museu da Notícia' e 'Quer um conselho?'.

Continuar Leitura
Advertisement
Advertisement

Mais vistas