Suspeito que fez família de bancário refém é preso

Suspeito que fez família de bancário refém é preso

ASCOM PCMG

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu em flagrante, nessa segunda-feira (2), um dos integrantes de uma quadrilha responsável por praticar extorsão mediante sequestro, na modalidade “sapatinho”, na cidade de Manhumirim (MG). Os sequestradores mantiveram cinco pessoas da mesma família reféns durante um dia.

De acordo com o Delegado Glaydson de Souza Ferreira, na manhã de segunda-feira (02), a equipe da Delegacia de Manhumirim recebeu ligação de um funcionário de uma instituição financeira da cidade, informando que um grupo de sequestradores estava fazendo cinco pessoas reféns, entre elas o gerente do banco e outras quatro pessoas da família dele. “Por volta das 8h30 fomos acionados e, imediatamente, a equipe deslocou ao encontro da vítima. O que sabemos é que, no dia anterior (1º), por volta das 22h, a vítima chegava da Igreja com sua família e, ao abrir o portão da garagem, foi abordada por dois sequestradores que levaram a família dele para dentro da residência. Esses sequestradores permaneceram por lá das 22h até às 00h30. Um dos sequestradores saiu com a família do gerente (esposa, dois filhos menores e um sobrinho de 15 anos) e foram em direção à Contagem. Outros sequestradores ficaram na residência do gerente até às 7h e solicitou que ele fosse em sentido ao banco para sacar o dinheiro e pagar o resgate da família”, contou o Delegado.

Ainda de acordo com o Delegado, a equipe fez alguns levantamentos e imediatamente fez contato com o Departamento Estadual de Investigações Especiais (Deoesp) e, em um trabalho conjunto, prenderam um dos suspeitos em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

Segundo o Delegado Ramon Sandoli, assim que o Deoesp tomou conhecimento do fato e soube que, possivelmente, os reféns e o suspeito estariam na RMBH, foram realizados os levantamentos e abordagem de Davidson Rabelo de Oliveira, 30 anos, dentro de um veículo em frente ao cativeiro. “Diante das informações e da mecânica que a equipe do Deoesp já conseguiu colecionar de fatos semelhantes a esse, chegamos em Contagem e abordamos o veículo utilizado pelo suspeito. Ele estava em frente ao cativeiro, onde foram localizadas armas de fogo. A família já não estava lá, mas foi localizada na cidade de Pará de Minas”, contou o Delegado.

Conforme detalhou Sandoli, antes da abordagem do indivíduo que foi preso, integrantes da quadrilha perceberam a ação da PCMG, que trabalhava de forma integrada, e libertaram as vítimas em Pará de Minas e depois fugiram. Segundo o Delegado, as vítimas foram resgatadas sem nenhum ferimento e também não foi realizado pagamento de resgate. “É comum neste tipo de crime que, ao tomar conhecimento que a PCMG está em diligência, os criminosos ficam receosos e acabam liberando as vítimas. Este é o reflexo dos resultados que a PCMG tem apresentado. Eles sabem que serão presos e levados à Justiça”, comentou.