Sem exames finais, paciente pode perder vaga para cirurgia de catarata em Divinópolis

Os interessados em realizar cirurgias de catarata devem comparecer nas Unidades de Saúde mais próximas de suas residências. Os pacientes que marcaram a operação e não compareceram para os exames finais correm risco de perder a vaga.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), apenas em 2019, foram chamados 1,3 mil pessoas e realizadas 736 cirurgias de cataratas nos mutirões. Entretanto, 564 pessoas não compareceram, sem apresentar justificativa.

A catarata é uma opacidade do cristalino (lente natural do olho), que dificulta a execução simples da visão. A cirurgia é a única forma de curar a doença e é indicada para todos os seus estágios. A operação é indolor e dura aproximadamente 15 minutos.

A catarata é responsável por 20 milhões de cegos no mundo. No Brasil, 350 mil pessoas apresentam cegueira por conta da doença. No entanto, a perda de visão é reversível com a cirurgia.

Os pacientes que aguardam a cirurgia de catarata devem ser avaliados por um oftalmologista. O médico deverá realizar uma série de exames como acuidade visual, fundo do olho, pressão intraocular, topografia da córnea, ultrassonografia do globo ocular e um exame para cálculo da lente intraocular a ser implantada.