Preso pela CPI, Roberto Dias foi solto 5 horas depois com fiança de R$ 1,1 mil

O ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias passou apenas cinco horas preso, após ser acusado de mentir durante depoimento da CPI da Pandemia. Ele pagou fiança de R$ 1,1 mil. O auto de prisão aponta 12 contradições de Dias, que classificou encontro com o policial militar Luiz Paulo Dominghetti de ‘acidental’.

Áudios revelados à CNN pelo PM revela que negociação da vacina já estava sendo realizada antes do encontro.

‘Os áudios que nós temos de Dominghetti são claros’, afirmou o presidente da CPI, e quem deu voz de prisão, senador Omar Aziz (PSD-AM).