Piumhi não vai entrar em consórcio para comprar vacina

O prefeito de Piumhi, Dr. Paulo Cesar Vaz, considera a proposta do consórcio de municípios para a compra de vacina ‘vago’, sem investimento certo ou quantidade de vacinas que a cidade vai receber. ‘Tudo é gerido pelo plano nacional de vacinação, de competência do Governo Federal’, afirmou. Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 17, chegou a ler trechos da proposta em que baseia sua desconfiança.

Ele acredita que há brechas para o município pagar e não receber todas as doses que necessita, pois mesmo comprando, ainda assim a distribuição será feita pelo Ministério da Saúde.

O prefeito de Formiga, Eugênio Vilela, afirma que tem R$ 2 milhões em caixa para a compra de vacinas.