Pesquisadora encontra contaminantes fecais no Lago de Furnas

Dissertação de mestrado de Andrea Leite, defendida no Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), aponta presença de contaminantes fecais no Lago de Furnas que pode comprometer a balneabilidade. É o que revela 100% de amostras colidas em cursos d’água que alimentam o reservatório (Rio Formiga, Ribeirão São Pedro, Rio Machado e Rio Muzambinho).

O Lago de Furnas opera no limite do seu volume útil em meio à pior crise hídrica do país em 91 anos.

Dezenas de cidades do Sul de Minas têm a economia dependente do reservatório e contabilizam prejuízos.