Órgãos de segurança se reúnem para plano de ação no Carnaval de Governador Valadares

Órgãos de segurança se reúnem para plano de ação no Carnaval de Governador Valadares

Os Blocos de Carnaval fazem parte do imaginário e das tradições culturais brasileiras. A euforia dos foliões e a consequente movimentação de público impacta diretamente no cotidiano de uma cidade e na segurança pública. E para garantir a organização e segurança dos eventos de grande porte de Valadares é que a Prefeitura criou a Comissão de Monitoramento de Violência em Eventos Esportivos e Culturais (COMOVEEC), com representantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, SAMU, Fiscalização de Posturas, de Transporte Público, Vigilância Sanitária, Limpeza Urbana, Juizado de Menores, Fiscalização Tributária, Cemig e Secretaria Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Juventude (SMCEL) de Governador Valadares.

Conforme o Edital de Cadastro de Blocos de Carnaval, elaborado pela COMOVEEC e publicado pela Prefeitura no dia 30 de outubro de 2019, as pessoas físicas ou jurídicas que tivessem interesse em realizar eventos com a temática de Carnaval no ano de 2020 deveriam se cadastrar até o dia 18 de novembro de 2019. Dez blocos se cadastraram no prazo. No entanto, o pedido de inscrição do Bloco de Carnaval “Trupico do Lalá” só foi recebido no dia 17 de Dezembro de 2019, portanto, fora do período previsto. 

Importante destacar que o edital em questão, no item 4.1, desautorizava a participação de blocos de Carnaval no ano de 2020 que não se inscrevessem em tempo hábil. Sem contar que foi dada ampla divulgação para o prazo de inscrições aos interessados. Dentre os vários blocos que efetivaram as inscrições, dois blocos optaram pela tradicional data do Bloco Trupico do Lalá (uma semana antes do carnaval), dentro do prazo estabelecido para a realização de eventos na Ilha dos Araújos. Tais blocos, inclusive, participaram das reuniões de planejamento e segurança previstas para todos os inscritos no mês de Novembro de 2019. 

Vale ressaltar que um desses blocos, considerando a importância da segurança pública, dos impactos que a realização do bloco causam à municipalidade, das limitações estruturais do bairro Ilha dos Araújos, bem como o público estimado de 30 mil pessoas na edição passada dos eventos carnavalescos da Ilha, aceitou transferir o bloco para o Bairro Lagoa Santa. 

Diante do ocorrido, a COMOVEEC, em atenção aos termos legais do edital e em respeito aos blocos que se inscreveram em tempo hábil, não pôde aceitar a inscrição do tradicional Bloco Trupico do Lalá, agora com novos dirigentes, no Carnaval de 2020 pelo descumprimento do prazo de inscrição previsto em edital. 

A obediência ao prazo se faz necessária para que, em tempo hábil, os organizadores possam atender a todos os requisitos solicitados pelos órgãos que compõem a COMOVEEC, respeitando, assim, à legislação vigente, que leva em conta a preocupação com a segurança dos participantes, viabilidade dos eventos, impactos no cotidiano dos cidadãos que não participam dos eventos, limpeza e manutenção dos bens públicos, bem como questões relacionadas ao trânsito, a proteção aos menores de idade, além da preocupação com a condição sanitária dos itens servidos nos eventos. 

Tal modelo adotado pela comissão tem se tornado referência pela integração e pelos resultados alcançados na Segurança Pública da cidade, o que reflete positivamente no cotidiano da população e impede que Governador Valadares figure nas páginas jornalísticas de tragédias em grandes eventos. 

Daniel Polcaro

Jornalista e editor dos sites Da Redação e Cura Plena. Escritor do 'Museu da Notícia' e 'Quer um conselho?'.