O polêmico gesto feito pelo assessor de Bolsonaro atrás de Rodrigo Pacheco

Durante sessão plenária que teve participação do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Felipe Martins, fez um gesto (considerado por alguns racista, ligado ao movimento da supremacia branca) que fez com que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM) — que aparece logo à frente de Martins — mandasse a polícia legislativa iniciar investigação.

Martins explicou que apenas ajeitava a lapela do terno depois de juntar os dedos indicador e polegar da mão direita de maneira arredondada.

‘Peço, senhor presidente, que conduza esse senhor [Filipe Martins] para fora das dependências do Senado. Esta sessão não tem condições de ter continuidade. Esse senhor, que ofendeu o presidente do Senado, ofendeu este plenário’, alertou o senador Ranfolfe Rodrigo (AP).