O alerta de epidemiologista para a terceira dose de Coronavac

Em entrevista à CNN, o epidemiologista José Cássio de Morais, especialista em imunização, acredita que é melhor idosos acima de 80 anos e transplantados, com câncer e com queimaduras graves, não recebam como terceira dose a vacina Coronavac. ‘Dados recentemente publicados no Brasil e que fazem a comparação entre a AstraZeneca e a Coronavac mostram que nos indivíduos acima de 80 anos a resposta da AstraZeneca é melhor que a da Coronavac. A da Pfizer deve ter o mesmo efeito [da AstraZeneca]’.

Ele alerta que não existem pesquisas que mostram a real proteção de uma terceira dose contra a Covid.

‘Todas as vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil têm um papel importante no controle da pandemia, e não se tem estudos mostrando qual a duração da imunidade provocada por cada uma das vacinas. E quando foram feitos os estudos dos ensaios clínicos, não foi utilizado a população das pessoas imunossuprimidas, tampouco a população acima de 80 anos’.