Maradona, o outro Papa argentino

Certamente, neste século, uma figura não teve tantas capas, nos mais diferentes países, com culturas e línguas totalmente distintas, como Maradona. O único paralelo a ser estabelecido é a morte de Michael Jackson ou do Papa João Paulo II, mas a música e a religião encontram barreiras que o futebol não possui. E a genialidade do camisa 10 argentino em sua passagem na Europa e a conquista da Copa do Mundo de 86 o faz romper todas as fronteiras, independente de quem foi fora de campo.

Nesta quinta-feira, 26, é exceção o jornal que ele não aparece na capa.

Sem imaginar a expectativa de 1 milhão de pessoas em seu velório na Casa Rosada em plena pandemia.