Índice de infestação da Dengue em Ituiutaba cai de 5,5% para 1,7%, patamar do ano 2011

Índice de infestação da Dengue em Ituiutaba cai de 5,5% para 1,7%, patamar do ano 2011

O Departamento de Vigilância Epidemiológica e a Coordenação Ambiental, da Secretaria Municipal de Saúde de Ituiutaba, divulgaram nesta segunda-feira (14) o resultado do segundo Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti – LIRAa de 2019. De acordo com os números apontados pelo relatório dos agentes de endemias, do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), o índice por domicílios ficou em 1,7%, um dos menores desde 2011. Na primeira pesquisa deste ano, realizada em janeiro, o índice foi de 5,5%.

O trabalho de pesquisa, neste segundo levantamento, contou com 40 agentes e cinco supervisores, que visitaram 2.533 imóveis localizados em 54 bairros, divididos por seis setores. O extrato do Setor 1 sobressaiu entre os demais, apontando índice de infestação predial em 2,88%. Os bairros deste setor são Progresso, Residencial Drummond, Ipiranga, Setor Norte, Bela Vista, Cristina, Nossa Senhora Aparecida, Maria Vilela, Industrial, Paranaíba, Gardênia, São José e Santo Antônio.

O número de casos

Ainda que baixo, o índice apresentado na última pesquisa não reduz a preocupação com a Dengue em Ituiutaba. Isto porque, de janeiro a outubro foram feitas 3.400 notificações e confirmados aproximadamente 2.300 casos da doença. Por isso, os agentes estão redobrando as orientações para que a população participe ativamente do combate ao Aedes aetypti.

“A partir da chegada do período chuvoso, torna-se necessário também, intensificar o trabalho de vistoria que os moradores devem fazer em suas residências ou quintais. Se cada morador tirar dez minutos do seu tempo por semana e olhar com atenção o imóvel, conseguiremos eliminar a maioria dos criadouros do mosquito”, disse o chefe do Setor de Controle de Endemias e Zoonoses, Paulo Sérgio de Oliveira.

As recomendações do CCZ são para que as pessoas procurem fiscalizar, semanalmente, locais como bebedouros de água dos animais e reservatórios, de preferência fazendo limpeza com sabão. Este simples procedimento evitará que o mosquito deposite seus ovos e se reproduza.