Esgoto tratado chega a 165 mil pessoas em Timóteo e Coronel Fabriciano

Os efluentes domésticos gerados nos municípios de Coronel Fabriciano e Timóteo terão tratamento adequado pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA MG) a partir do mês de setembro de 2019. Com um investimento de R$ 104 milhões, o empreendimento da Companhia, localizado no bairro Limoeiro, em Timóteo, irá beneficiar cerca de 165 mil pessoas em ambas as cidades.


Na segunda-feira (26/08), a superintendente da Superintendência Regional de Regularização Ambiental do Leste Mineiro (Supram LM), Gesiane Lima e Silva, visitou a Estação de Tratamento de Esgoto – ETE  Sistema Integrado de Timóteo e Coronel Fabriciano. Na ocasião, Gesiane protocolou junto à Copasa a Licença de Operação – LO nº 001/2019, que autoriza a Companhia a iniciar o tratamento dos esgotos dos municípios com a operação da ETE.


Ao receber o documento, o superintendente operacional do Vale do Rio Doce e Vale do Aço da Copasa, Albino Campos, explicou para os técnicos da Supram LM os detalhes construtivos da ETE e o funcionamento de todo o empreendimento.


“É muito satisfatório conseguir concluir mais essa etapa da Licença. Participei de todas as fases e, agora, conhecendo de perto a ETE vi que todas as infraestruturas foram implantadas adequadamente. Tem tudo para funcionar de forma bem efetiva e tratar com eficiência o esgoto das cidades de Timóteo e Coronel Fabriciano”, pontua a superintendente da Supram LM.


Albino Campos, enfatizou a importância deste empreendimento para as duas cidades. “A operação da ETE visa à melhoria da saúde e da qualidade de vida de toda a população, além da melhoria das condições ambientais e do crescimento socioeconômico de toda a região. A partir de agora, os municípios de Coronel Fabriciano e Timóteo entrarão no seleto grupo de cidades brasileiras que possuirão um completo sistema de tratamento dos esgotos sanitários”, explica.


Infraestrutura da obra
As obras contemplaram a construção de 11.500 metros de redes coletoras de esgoto (tubulações de menor diâmetro implantadas em vias públicas para coletar os esgotos das residências, comércios e indústrias); 31.160 metros de interceptores (tubulações de grande porte implantadas ao longo dos córregos e rios para receber os esgotos das redes coletoras); 10 elevatórias de esgoto bruto (unidades de bombeamento do fluxo de esgoto para um nível mais elevado); 7.200 metros de linhas de recalque (responsáveis por transportarem os esgotos até a ETE); uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE – Sistema Integrado Timóteo e Coronel Fabriciano); um laboratório para realização das análises de esgoto, além de aquisição de materiais, terrenos e equipamentos.

Benefícios do tratamento de esgoto
Além de contribuir para a erradicação de doenças de veiculação hídrica e controle da proliferação de vetores, o tratamento de esgoto permite que as cidades recebam o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Ecológico, um meio de incentivo aos municípios para a criação de mais áreas de preservação ambiental e melhoraria das regiões já protegidas. Outro aspecto positivo é a mudança nos aspectos urbanísticos e, consequentemente, a valorização imobiliária das cidades.