Custo de vida em Belo Horizonte tem alta na saúde e queda na cesta básica

O Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead/UFMG) divulgou os resultados dos estudos realizados pela Fundação sobre variações no custo de vida em Belo Horizonte no mês de agosto. A pesquisa revelou um aumento de 0,22% em comparação com o mês de julho, sendo os maiores destaques do mês, em termos de variação, as altas de 3,21% para Saúde e cuidados pessoais e de 1,13% para Produtos administrados. Todos os resultados estão disponíveis no site do Ipead.

Também foi registrada a permanência da inflação que vem se acumulando nos últimos 12 meses dentro da meta de 4,25%, definida pelo Conselho Monetário Nacional para o ano de 2019. O item Plano de saúde individual foi o que mais contribuiu para a inflação registrada em agosto, com elevação de 7,35% no mês. O custo da cesta básica apresentou a quarta queda consecutiva, igual a -2,0%, sendo o principal responsável o Tomate Santa Cruz (-19,53% no mês). 

O Ipead divulgou ainda o Índice de Confiança do Consumidor (ICC-BH), que apresentou a terceira alta consecutiva, com aumento de 2,42% no mês de agosto, sendo a componente Pretensão de compra a que mais contribuiu para a melhora do humor dos consumidores.