Comissão quer suspensão de Rogério Caboclo da CBF por 15 meses

A Comissão de Ética da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) citou apenas ‘conduta inapropriada’ e não assédio moral e sexual contra funcionária da entidade, mas mesmo assim pede suspensão de 15 meses do presidente, Rogério Caboclo. Agora, o parecer será apreciado pelos presidente das 27 federações estaduais durante Assembleia Geral.

Caboclo afirma ter recebido a notícia ‘com tranquilidade’.

‘A rejeição da acusação de assédio é correta e era esperada, uma vez que nunca cometi esse ato e minha defesa comprovou minha inocência’.