Colapso e dor: enterros com caixões empilhados e valas

Colapso e dor: enterros com caixões empilhados e valas

Com média de 100 sepultamos por dia, Manaus (AM) chegou a adotar sepultamentos com caixões empilhados.

Os enterros ocorriam em valas comuns e até mesmo no período noturno para suprir a demanda.

A repercussão negativa provocou nova determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto nesta terça, 28.

O trabalho segue no esquema de trincheiras, com caixões sepultados lado a lado, em grandes valas.