A mobilização dos coletivos pelas causas e direitos em Passos

Os chamados coletivos, grupos que se empenham por causas e direitos que de alguma maneira não estão sendo defendidos ou garantidos pelo poder público, ganham volume e voz nos últimos anos em Passos, aponta reportagem do portal Noticiar, editado pela jornalista Keuly Vianney. ‘Apesar de pequenos, os coletivos são responsáveis por avanços importantes e conseguem até mudanças antes inimagináveis dentro da sociedade’.

‘Nos últimos cinco anos, muitos coletivos começaram a atuar em Passos em prol de causas que acabam sendo alvo de preconceito, racismo, machismo, dentre outros tipos de intolerância devido ao sexo, gênero, raça’.

Conheça mais sobre o trabalho de dois coletivos passenses. O LGBTI+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais), do Sind-UTE Passos-MG (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais) e o Soul Mulher.